Na manhã desta segunda-feira, (02/09) o Papa Francisco recebeu os Bispos da Igreja Greco-católica Ucraniana.

No início do encontro sua Beatitude o arcebispo-mor Sviatoslav Shevchuk, da Igreja Greco-Católica Ucraniana, dirigiu algumas palavras de saudação ao Santo Padre.

O Papa não fez um discurso oficial, mas uma saudou a todos esclarecendo que “no encontro que tivemos” [no Vaticano em 5 de julho de 2019] foi dito tudo o que se deveria dizer.

Porém, continuou o Pontífice referindo-se ao discurso do arcebispo Shevchuk “o senhor disse algo que não podemos esquecer: sínodo, sinodalidade, e Espírito Santo”. Evidenciando em seguida um artigo publicado na edição de domingo do jornal L’Osservatore Romano, sobre a presença do Espírito Santo no caminho sinodal.

Francisco explica que “há um perigo: crer hoje, que fazer caminho sinodal ou ter uma atitude de sinodalidade, signifique uma pesquisa de opinião, o que pensa este, aquele e outro…, para depois organizar um encontro e concordar… Não, o sínodo não é um Parlamento! As coisas devem ser ditas, discutidas como se faz normalmente, mas não é um Parlamento”. Principalmente continua o Papa “não é como na política: eu dou isso e você me dá aquilo”. Depois de afirmar veemente que o Sínodo também não é uma pesquisa sociológica, como alguns crêem embora os sacerdotes devam certamente saber o que os leigos pensam, finaliza:

“ Se não há o Espírito Santo, não há Sínodo. Se o Espírito Santo não está presente, não há sinodalidade ”

“Se não há a Igreja, a identidade da Igreja” não é Sínodo e continua explicando o que é a identidade da Igreja segundo São Paulo VI: “a vocação da Igreja é evangelizar, ou seja, a sua identidade é evangelizar”.

Por fim Francisco convida os bispos ucranianos a entrarem no Sínodo que está para iniciar “com este espírito, com o Espírito Santo. Rezem o Espírito Santo para que vocês não se tornem uma Igreja congregacionista, mas sim uma Igreja sinodal”.

Fonte: Vatican News

Comentários

Comentários