Sobre o amor talvez eu não entenda.

Não entenda esse amor que parece me tirar tudo, mas pelo contrário me devolve a quem realmente sou. E me dá ainda mais do que eu possa querer ou até mesmo imaginar.
Amor esse que se doa sem nada esperar.

Amor que é real e que me leva a viver na realidade da qual por vezes tentei escapar.

Amor capaz de me mostrar cada uma das minhas fraquezas não com julgamentos, mas com justiça e misericórdia, justiça essa que me faz compreender as consequências delas e ao mesmo ser grata pela misericórdia que me acolhe e me faz enxergar os aprendizados.

Amor que me torna capaz e me ensina amar não como eu gostaria, mas sim como devo.

Enfim não entendo esse amor que se perdura e jamais se esgota, esse amor capaz de nascer de forma tão divina e humana em uma manjedoura e se entregar por nós em uma cruz, para mostrar que o ordinário se torna extraordinário quando me abro a graça.

Emily Santos

Missionária da Comunidade Católica Alicerce

Comentários

Comentários