“No meio do caminho tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho…” (Carlos Drummond de Andrade), mas sempre há, também, uma flor.

Caminhando um dia desses, observava no caminho, na beira das calçadas, algumas pedras, o que é comum, até que uma flor me chamou a atenção.

Assim vejo a vida, há pedras em que tropeçamos, outras das quais desviamos e ainda as que carregamos, mas o mais importante é o que elas significam para nós.

Outro dia refletia, que se fosse definir minha história de vida em uma palavra, de tantas que me vem à cabeça, uma delas é Gratidão. Gratidão por perceber, que por graça de Deus, não deixei que nada simplesmente passasse por mim sem significado algum. A experiência pessoal com Cristo me fez buscar sentido em cada coisa desde então.

Existem momentos, em que torcemos pra que determinadas situações passem logo e fiquem esquecidas, geralmente por causar dor! Mas muitas vezes, dependemos disso para começarmos uma nova etapa, que é atrasada e incomodada por um antigo vazio, um ressentimento.

Em Deus descobrimos a nossa verdade, e a verdade nos lembra do que realmente importa, é preciso enfrentar os desafios, é preciso fortalecer-se e amadurecer com eles.

Ouvi que o verdadeiro amadurecimento é quando assumimos o nosso dia a dia, com altos e baixos, conquistas e derrotas, mas a resposta final é sempre de nossas decisões, do nosso esforço para torna-lo melhor e tornarmo-nos melhores a partir dele.

Assim compreendemos melhor a vida, assim aprendemos a ama-la e a contemplar tamanho segredo escondido em nós: “Há coisas que só se compreendem diante de muito amor”(Beato Duns Scotus).

E então percebemos, que a vida não é feita apenas de pedras nem tanto de flores, mas cada qual está onde precisamos que esteja, para bem vivermos, para não nos contentarmos e acomodarmo-nos, mas sempre fazer uma nova experiência que nos leve a perceber o verdadeiro valor da vida.

Karina Ribeiro

Missionária da Comunidade Católica Alicerce

Comentários

Comentários