Santo do Dia: São Francisco de Assis

Francisco nasceu em Assis, na Úmbria (Itália) em 1182. Jovem orgulhoso, vaidoso e rico, que se tornou o mais italiano dos santos e o mais santo dos italianos. Com 24 anos, renunciou a toda riqueza para desposar a “Senhora Pobreza”.

Aconteceu que Francisco foi para a guerra como cavaleiro, mas doente ouviu e obedeceu a voz do Patrão que lhe dizia: “Francisco, a quem é melhor servir, ao amo ou ao criado?”. Ele respondeu que ao amo. “Porque, então, transformas o amo em criado?”, replicou a voz. No início de sua conversão, foi como peregrino a Roma, vivendo como eremita e na solidão, quando recebeu a ordem do Santo Cristo na igrejinha de São Damião: “Vai restaurar minha igreja, que está em ruínas”.

Partindo em missão de paz e bem, seguiu com perfeita alegria o Cristo pobre, casto e obediente. No campo de Assis havia uma ermida de Nossa Senhora chamada Porciúncula. Este foi o lugar predileto de Francisco e dos seus companheiros, pois na Primavera do ano de 1200 já não estava só; tinham-se unido a ele alguns valentes que pediam também esmola, trabalhavam no campo, pregavam, visitavam e consolavam os doentes. A partir daí, Francisco dedica-se a viagens missionárias: Roma, Chipre, Egito, Síria… Peregrinando até aos Lugares Santos. Quando voltou à Itália, em 1220, encontrou a Fraternidade dividida. Parte dos Frades não compreendia a simplicidade do Evangelho.

Em 1223, foi a Roma e obteve a aprovação mais solene da Regra, como ato culminante da sua vida. Na última etapa de sua vida, recebeu no Monte Alverne os estigmas de Cristo, em 1224.

Já enfraquecido por tanta penitência e cego por chorar pelo amor que não é amado, São Francisco de Assis, na igreja de São Damião, encontra-se rodeado pelos seus filhos espirituais e assim, recita ao mundo o cântico das criaturas. O seráfico pai, São Francisco de Assis, retira-se então para a Porciúncula, onde morre deitado nas humildes cinzas a 3 de outubro de 1226. Passados dois anos incompletos, a 16 de julho de 1228, o Pobrezinho de Assis era canonizado por Gregório IX.

São Francisco de Assis, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova

Seja feliz todos os dias!

Se a semana tem sete dias por que deixamos para ser feliz em apenas três?

Mais uma semana se inicia, porém muitos de nós já ficamos ansiosos esperando pelo fim de semana como se existisse algo ‘mágico’ que fosse capaz de tornar esses dias tão especiais assim. Não estou com isso dizendo que o final de semana não seja algo bom, realmente é muito bom ter alguns dias para descansar, passear, se reorganizar entre outras coisas. Porém não podemos limitar a nossa felicidade a três dias da semana.

A Cada dia nos é dado por Deus novas oportunidades para amarmos, sonharmos, aprendermos, enfim para sermos verdadeiramente felizes! Não perca essa oportunidade! Seja feliz todos os dias!

Que Deus nos Abençoe!

Emily Santos

Missionária da Comunidade Católica Alicerce

Outubro Mês das Missões e do Rosário.

Outubro é o mês das missões e de Nossa Senhora, a mais santa de todas as mulheres. Falando tão pouco e de modo tão suave, ela dizia tudo no silêncio de seu coração. Nossa mãe Maria quer os cristãos unidos e solidários como uma grande família… Quem medita e conhece o Evangelho sabe que Jesus e Maria nutriam especial predileção pelo silêncio, pelos lugares desertos. Silêncio é terapia, calmante, reconforto, reabastecimento psicológico, físico e espiritual.

O silêncio é a liturgia da palavra celebrada na catedral da fé no santuário da oração sob as bênçãos do Pai. O silêncio é genuflexório das grandes almas dos corações humildes dos grandes amigos de Deus e dos homens. Vale a pena abrir nosso coração a Cristo e a Maria, rainha dos apóstolos, missionária por excelência, estrela da nova evangelização.

Maria guardava tudo em silêncio meditando os acontecimentos as palavras de seu Filho os mistérios do dia-a-dia. Enquanto muitos se alimentam de horóscopos e falsos ensinamentos, mergulhemos diariamente em algum trecho do Evangelho, no oceano misericordioso do Coração de Jesus e de Maria. E nossa vida será luminosa, plena, missionária, e feliz. Toda a vida de Maria cabe numa palavra: doação. Humilde, profundamente humana, embora tão agraciada espiritualmente, predileta do Altíssimo. Forte na dor, inquebrantável no sofrimento, marcando presença junto a seu Filho e ao lado dos apóstolos.

Modelo de fé, Maria está sempre pronta para nos atender. Uma das maneiras mais eficazes e poderosas de recorrermos à gloriosa e celeste intercessão da Mãe de Deus é o SANTO ROSÁRIO. O Rosário é oração simples, mas poderosa e nos traz grandes benefícios. Com esta oração podemos enfrentar vitoriosamente as forças do mal. Podemos também confiar a Maria todas as preocupações, necessidades, dificuldades problemas intenções e esperanças pessoais das famílias a Igreja e do mundo.

No Rosário, Maria, santuário do Espírito Santo, ao ser suplicada por nós, apresenta-se em nosso favor diante do Pai que acumulou de graça e do Filho nascido das suas entranhas, pedindo conosco e por nós “. Meditemos sobre estas palavras do Papa João Paulo II, em sua Carta Apostólica” O Rosário da Virgem Maria.

Quem é devoto de Maria e a invoca com o Rosário, conhece por experiência, o poder e o amor desta boa Mãe! Rezemos o Rosário todos os dias! A Igreja reconheceu sempre uma eficácia particular ao Rosário, confiando-lhe mediante a sua recitação comunitária e a sua prática constante, as causas mais difíceis.Em momentos em que estivera ameaçada a própria cristandade, foi à força desta oração que se atribuiu à libertação do perigo, tendo a Virgem do Rosário sido saudada como propiciadora da salvação.

À eficácia desta oração, confio de bom grado hoje como acenei ao princípio a causa da paz no mundo e a causa da família? (Da carta Apostólica “Rosário da Virgem Maria” de João Paulo II).Falando aos jovens universitários da Europa, em 15 de março de 2003, o Papa João Paulo II disse: “Com a recitação fervorosa do Rosário, pode-se mudar a sorte do mundo”. E nós, acreditamos no poder do Rosário?

A oração é uma busca constante de viver na presença de Deus e procurar estar em diálogo com ele para que ele nos ajude em nossas necessidades, mas devemos nos lembrar das palavras de são Tiago: pedis sim, mas pedis mal, pois não sabeis o que pedir.Muitas vezes pedimos, e pedimos muito, mas não pedimos o que deveríamos, nossos pedidos são mesquinhos, materialistas e visam simplesmente a satisfação de interesses pessoais e imediatos, não sabemos pedir os verdadeiros valores, que são eternos, não pedimos a salvação, o perdão dos pecados nossos e dos outros, não pedimos pela ação evangelizadora da Igreja, pela superação das injustiças que causam guerras e tantos sofrimentos, mas principalmente, não pedimos a ação do Espírito Santo em nossas vidas.

Fonte: Canção Nova