Não são poucas as situações que querem nos dominar, não são poucos os momentos que parece que vamos desanimar, não poucas as lágrimas que escorrem pelo travesseiro ou chuveiro, mas, que depois de um tempo secam e nos levantam, mostrando-nos que sempre é possível continuar.

Não quero fazer um texto melancólico, mas, quero aqui enfatizar que todas nós passamos por dificuldades, que todas temos fragilidades, não podemos fugir, tampouco, esconder a nossa verdade, mas, que só virá a tona, se tivermos fidelidade a nós mesmas, a nossa essência, a nossa história!

Confesso, que refletir e viver a minha história em sua essência, nem sempre é um processo fácil, exige muita maturidade e claro, contar com a graça de Deus para clarear e ordenar aquilo que foi ferido, também, sempre contar com a ajuda de alguém confiável que tenha a coragem de falar aquilo que não gostaríamos de ouvir, mas, são justamente essas palavras que nos trazem vida e nos ajuda a ter um olhar mais profundo para nós mesmas, trazendo coragem para seguir adiante, e, enfrentar os novos desafios.

Com toda essa reflexão é importante lembrar que na essência da mulher existe duas características que são muito marcantes, mas, que tem-se deixado de lado, são elas a docilidade e a firmeza.

Ao contrário do que pensam, ser firme não significa ser rude, grossa, ou deixar de sorrir e de ser dócil as pessoas, mas, no dicionário vamos encontrar que é uma particularidade de quem apresenta constância, de quem tem segurança para tomar as decisões.

É exatamente isso que nos ajuda a sermos mulheres determinadas em nossos sonhos e ideais.

A firmeza na vida da mulher está expressamente revelada na vida de Nossa Senhora, no momento em que o anjo anunciou que ela seria a mãe do Salvador, ela não hesitou e foi fiel até o fim, com tanta firmeza que no momento da cruz, ela permaneceu de pé!

Aqui está o segredo para enfrentarmos as situações difíceis do nosso cotidiano, sermos firmes a ponto de permanecermos de pé, sim, eu digo que é natural chorarmos, nos sentirmos sem força, mas, essa firmeza que nos é dada por Deus, nos ajuda a não cairmos em um desânimo que destrói a nossa alma, que nos faz entregarmos os pontos.

Eu aprendi nesses momentos a olhar para o alto e buscar essa firmeza para que eu seja fiel aos meus propósitos e aos meus valores, contando sempre com a graça de Deus que me dá ânimo, esperança e renova minhas forças me mostrando que eu posso ir além do que muitas vezes eu imagino.

Seja firme como mãe, seja firme como esposa, como dona de casa, no seu meio de trabalho, no meio social, e, sobretudo, seja firme com você mesma, com os seus sonhos, com os seus ideais, e, não se perca por causa das situações ou das pessoas. Não deixe seus ideais por situações momentâneas, não tome decisões na emoção! Mas, tenha pé no chão e coração nas coisas do alto para que você consiga com firmeza dar as respostas certas para cada situação.

A docilidade, por sua vez, complementa essa firmeza, pois, ela nos ajuda a não viver a nossa vida de modo pesado, não nos rouba o brilho do olhar, não nos deixa indiferente as pessoas que fazem parte da nossa realidade, e, principalmente, não nos torna uma mulher estressada, mau humorada, escandalosa, que saí brigando e perdendo a paciência com todos e em todos os momentos!

É muito ruim conviver com uma mulher assim, que não releva nada, que vive de cara fechada o tempo todo.
Seja dócil consiga mesma, pois assim, você será mais dócil com os outros também.

Não pense que a docilidade vai te fazer uma mulher “boba”, sem autoridade. Pelo contrário, a docilidade também nos ajuda a sermos firmes, mas, uma firmeza com amor, que cuida, que dá o seu melhor para que o outro tenha a oportunidade de se tornar uma pessoa melhor!

Percebo isso, de forma muito clara, em nossas missões com os jovens nas escolas, é com firmeza e com docilidade que conseguimos conquistar suas confianças e termos a liberdade de falar aquilo que precisa.

Bruna Ferreira

Missionária da Comunidade Católica Alicerce

Comentários

Comentários